Graduação

Apresentação

O curso de graduação em Engenharia Elétrica existe desde 1973, e já formou mais de 1000 engenheiros. O curso obedece plenamente ao disposto nas Diretrizes Curriculares e todos os profissionais graduados pela UFES em Engenharia Elétrica estão habilitados a exercer as atividades previstas na Resolução 1010/05 do CONFEA (órgão que regulamenta o exercício da profissão de Engenheiro) para Engenheiros em Eletrônica, Eletrotécnica e Telecomunicações. O currículo do curso tem sido constantemente atualizado para fazer frente às inovações tecnológicas e as demandas do mercado de trabalho, sendo a última atualização feita em 2009, com a inclusão da ênfase de Automação e Controle às ênfases nas áreas de Eletrônica, Sistemas de Energia, Telecomunicações, Computação criadas na reforma curricular de 1996. A formação dada aos nossos Engenheiros em Eletricidade durante a graduação lhes permite exercer as atividades de projeto, execução, supervisão e gerenciamento de obras de engenharia, que se relacionem com a transmissão e processamento de informações e/ou energia sob forma de ondas eletromagnéticas. Desde o primeiro Exame Nacional de Cursos (Provão) para Engenharia Elétrica em 1998, o curso de Engenharia Elétrica da UFES vem obtendo conceito A na avaliação dos alunos.

Mercado de Trabalho

Engenheiros com habilitação em Engenharia Elétrica têm trabalhado em firmas de grande porte, empresas estatais, órgãos governamentais e instituições de ensino e pesquisa, além de atuarem como profissionais liberais e proprietários de empresas de prestação de serviços de projeto, manutenção e supervisão. Devido ao processo de terceirização, um fenômeno global, tem sido observada uma tendência crescente de engenheiros atuarem como autônomos ou profissionais liberais, principalmente nas áreas de Eletrônica e Computação.

Áreas de Atuação

O Engenheiro com formação em Engenharia Elétrica desempenha atividades de desenvolvimento, projeto, operação, construção e supervisão em diversas áreas, a saber:

Eletrônica

Circuitos de controle, supervisão, comunicação segurança, e sonorização, além de sistemas computacionais e de radiodifusão.

Automação

Sistemas de automação de processos industriais, incluindo o uso de computadores para controle de processos e robótica.

Telecomunicações

Sistemas de comunicação e de teleprocessamento, incluindo radiodifusão, comunicações ópticas, comunicações por satélite, telefonia convencional e celular, além de redes de computadores.

Computação

Sistemas de computação para controle de processos industriais e comerciais, incluindo hardware e software.

Controle

Sistemas para controle de processos industriais envolvendo máquinas elétricas e dispositivos eletrônicos e mecânicos, além de instrumentação.

Sistemas de Energia

Sistemas de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica, além de instalações elétricas industriais, comerciais e residenciais.

Currículo

O currículo atual, introduzido em 2009, é uma evolução da estrutura curricular introduzida em 1996, e tem características bastante modernas, com possibilidade de ênfases e disciplinas relacionadas à Engenharia Elétrica já no primeiro período. Atualmente pode-se escolher uma dentre cinco ênfases: Computação , Eletrônica, Telecomunicações, Sistemas de Energia e Automação e Controle. O Estágio Supervisionado e a realização de um projeto de graduação são obrigatórios. O prazo previsto para o término do curso é de 10 (dez) semestres (5 anos), e o curso tem um total de cerca de 3630 horas-aula, das quais 550, em média, são aulas de laboratório.

Ingresso e Número de Vagas

São oferecidas 80 (oitenta) vagas anuais, com ingresso de 40 alunos por semestre. A seleção é feita por concurso vestibular, realizado anualmente. O prazo de inscrição é divulgado anualmente pela UFES. Alunos de outras instituições podem, sob certas condições, se transferir para a UFES.

Corpo Docente

As disciplinas do currículo de Engenharia Elétrica estão a cargo, principalmente, dos departamentos de Engenharia Elétrica, Informática (juntos são responsáveis por 70% do curso), Matemática, Engenharia de Produção e Física.

Projeto Pedagógico

O Projeto Pedagógico do curso foi reformulado. No momento, está sendo introduzido o Projeto Pedagógico Novo (aprovado em 2008), que é válido para os ingressantes a partir de 2009. Para os alunos que ingressaram antes, continua válido o Projeto Pedagógico anterior (aprovado em 1995 com modificações feitas em 1999 e 2007). A nova estrutura curricular atende as Diretrizes Curriculares para os cursos de Engenharia do MEC e as normas para o exercício de atividade profissional dos Engenheiros do CONFEA. As principais mudanças foram a inclusão de uma nova ênfase (em Controle e Automação-Mecatrônica) e a inclusão de novas unidades curriculares práticas como Práticas de Laboratório no primeiro período e Projeto Orientado no sexto período. Além disso, foi introduzida a obrigatoriedade de Atividades Extracurriculares como estágios, iniciação científica, monitorias e outras.